Estoque de segurança: tudo o que você tem que saber para calcular

Estoque de segurança: tudo o que você tem que saber para calcular

O estoque de segurança é uma prevenção contra o impacto dos imprevistos na gestão de estoque. Ele garante que os pedidos serão honrados mesmo com picos de demanda e problemas de fornecimento.

São inúmeros os especialistas que apontam os problemas de infraestrutura como um obstáculo importante para as empresas no Brasil. Quem trabalha com gestão e controle de estoque sente isso na pele todos os dias!

Afinal de contas, quando se trata da logística e armazenagem, a exatidão é muito importante. Um atraso de um dia na reposição de um item pelo fornecedor já tem potencial para te custar vendas e clientes! A menos, claro, que você siga a recomendação dos profissionais de logística e mantenha um estoque de segurança, de modo a garantir a condução e o sucesso dos negócios mesmo com imprevistos.

Clique para ir direto ao assunto que te interessa:

O que é o estoque de segurança?

estoque de seguranca
O estoque de segurança garante que suas mercadorias não se esgotarão, mesmo com picos imprevistos na demanda ou problemas de suprimento.

O estoque de segurança é uma quantidade a mais de produtos que você tem na armazenagem, mas não pretende usar. Pense nele como um plano de saúde: por mais que você o pague todos os meses, não quer ficar doente!

É importante que você tenha esse extra para preservar seu negócio dos efeitos nocivos de flutuação na demanda, problemas de fornecimento ou quebras de estoque dentro da sua armazenagem. Caso isso afete a disponibilidade dos itens, o estoque de segurança evita problemas.

Por que o estoque de segurança é importante?

estoque de seguranca
Imprevistos acontecem, principalmente na cadeia logística. O estoque de segurança atenua seus efeitos.

Você tem certeza de que o seu negócio não é complexo o suficiente para ter um estoque de segurança? Pense de novo! Praticamente todos os itens podem sofrer flutuações importantes tanto na oferta quanto na demanda, por diversos fatores.

Por exemplo: digamos que você tenha um loja de brinquedos. É muito provável que uma grande quantidade das suas vendas esteja concentrada em poucos períodos, como Natal e Dia das Crianças. Entretanto, você não é o único impactado por isso: seus concorrentes também vendem mais, assim como os seus fornecedores.

Esse aumento de demanda de todas as partes envolvidas (você, clientes e concorrentes) pode fazer com que um item especialmente procurado pelo público fique indisponível, o que te custa vendas. Nesses casos, o estoque de segurança entra em ação e impede isso.

Pensemos em outra situação: seu fornecedor depende de rodovias para realizar as entregas. Devido ao mau tempo, há um deslizamento de terra e o caminhão fica horas – ou, até mesmo, dias – preso na estrada. Não há o que fazer: seu pedido vai atrasar. Mas, nem por isso as vendas param!

Moral da história: manter um estoque de segurança exige sim um investimento (afinal, são itens parados na estocagem, o que significa dinheiro parado), mas vale a pena. Ele garante que, em caso de imprevistos que afetem a oferta dos seus produtos, você não perde vendas nem clientes para a concorrência.

Qual é a diferença entre estoque de segurança e estoque mínimo?

estoque de seguranca
O objetivo do cálculo do estoque mínimo é que o estoque de segurança não seja acionado.

É comum que haja uma confusão entre os conceitos de estoque de segurança e estoque mínimo entre quem entra em contato com eles pela primeira vez. Embora estejam relacionados, não são o mesmo!

O estoque de segurança, como acabamos de explicar, funciona como uma rede de proteção, um plano B. Caso o estoque regular se esgote e haja problemas com o seu ressuprimento, você pode acioná-lo e garantir a continuidade das vendas.

Já o estoque mínimo também é conhecido como ponto de ressuprimento ou de pedido. Não é à toa: é um nível preestabelecido do estoque regular que automaticamente acarreta em um novo pedido daquele item. Ele é calculado justamente de modo a evitar que o estoque de segurança seja acionado, a todo custo.

-

Quais aspectos influenciam a fórmula de cálculo do estoque de segurança?

estoque de seguranca
É importante levar tanto a demanda quanto o comportamento dos servidores em consideração ao calcular o estoque de segurança.

Não basta armazenar uma quantidade arbitrária de itens e chamar isso de estoque de segurança. Há alguns fatores que interferem no cálculo e merecem a devida atenção:

  • Curva ABC de estoque. Esse princípio prega que 80% dos seus rendimentos de vendas vêm de 20% dos seus produtos. Esses itens merecem atenção especial, pois, caso entrem em falta, terão um impacto negativo importante sobre os seus lucros. Consequentemente, seu estoque de segurança deve ser reforçado.
  • Previsão de demanda. Quanto mais homogênea for a demanda por um item, mais fácil o cálculo do estoque de segurança. Agora, quando há picos de demanda ao longo do ano – devido a influências sazonais, por exemplo – é preciso usar uma fórmula específica para o cálculo do estoque de segurança, como veremos a seguir.
  • Lead time. O lead time é o tempo que o seu fornecedor costuma levar para entregar os seus pedidos. Quanto maior ele for, maior deve ser o nível do seu estoque de segurança. Se o lead time for inconstante, você deve encontrar um meio termo: adotar um tempo curto é arriscado, e um tempo longo é muito custoso.

Qual é a fórmula para calcular o estoque de segurança?

estoque de seguranca
A fórmula para calcular o estoque de segurança varia conforme o lead time dos seus fornecedores.

Não há uma única fórmula para calcular o estoque de segurança. Na verdade, há duas: a primeira, mais simples, é aplicável a casos de lead time estável. Já a segunda deve ser usada quando há desvios consideráveis no tempo de entrega. Confira:

Fórmula 1:

Essa é a fórmula que deve ser usada quando não há desvio padrão no lead time. Em bom português, quando o tempo que o seu fornecedor leva para entregar os itens não varia muito.

estoque de seguranca formula

Na qual:

  • ES = estoque de segurança;
  • z = valor tabelado que indica a quantidade de desvios padrão que é preciso levar em consideração para garantir o nível do serviço;
  • σd = desvio padrão da demanda;
  • t = lead time.

Fórmula 2:

Já essa fórmula, mais complexa, deve ser usada quando o lead time costuma variar mais, a ponto de impactar o seu controle de estoque.

estoque de seguranca formula

Na qual:

  • ES = estoque de segurança;
  • z = valor tabelado que indica a quantidade de desvios padrão que é preciso levar em consideração para garantir o nível do serviço;
  • σd = desvio padrão da demanda;
  • t = lead time;
  • σt = desvio padrão do lead time.
  • d = demanda média.

Se, depois de lançar os componentes na fórmula você obtiver um valor “quebrado”, arredonde-o para cima. Afinal, já dizia a sua avó: é melhor prevenir do que remediar!

A melhor maneira de coletar os dados para o cálculo é a análise das informações sobre vendas e pedidos em seu sistema de gestão ERP: lá, você pode extrair relatórios que relevam a demanda e qual foi o lead time de compras anteriores. É importante ser exato!

Quer mas informações valiosas para ser um empreendedor de sucesso? Então baixe já nosso material gratuito e exclusivo:

kit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: