Conheça 10 tipos de estoque para aplicar em seu negócio

Conheça 10 tipos de estoque para aplicar em seu negócio

Muitos empresários não imaginam que a armazenagem não é uma só, e que há vários tipos de estoque. Cada um tem uma utilidade diferente para a empresa que o utiliza. Aprenda como se beneficiar disso!

Fazer o controle de estoque é, simplesmente, ter um local espaçoso para guardar matérias-primas e mercadorias, fazendo uma gestão rigorosa do que entra e do que sai… Certo?

Errado! A administração desta área é muito mais complexa do que isto. Envolve, para começo de conversa, a previsão de demanda, a otimização de processos produtivos produtivos e o bom relacionamento com fornecedores estratégicos.

Além disso, como o estoque é o centro de operações de uma empresa, ele é muito vulnerável a mudanças de cenário. Isso faz com que haja vários tipos de estoque, adequados para lidar com situações distintas.

Neste post, você conhece alguns deles e como cada um funciona em seu negócio. Confira:

Clique para ir direto ao assunto que te interessa:

  1. Estoque de natureza regular
  2. Estoque de segurança
  3. Estoque de ciclo
  4. Estoque de antecipação
  5. Estoque sazonal
  6. Estoque pulmão
  7. Estoque em trânsito
  8. Estoque consignado
  9. Estoque inativo/obsoleto
  10. Estoque regulador

1. Estoque de natureza regular

De todos os tipos de estoque, este é mais o feijão com arroz. É o controle básico que todo empreendedor deve fazer em sua empresa: ter um espaço adequado às mercadorias, fazer a previsão de demanda correta, calcular os estoques mínimo e máximo, etc.

2. Estoque de segurança

O estoque de segurança deveria estar presente no feijão com arroz do controle de estoque, mas nem sempre está.

Trata-se de uma armazenagem extra, cuja função é garantir a oferta de produtos em caso de imprevistos, como picos repentinos de demanda ou problemas com as entregas do fornecedor (como acidentes e problemas climáticos que possam deixar determinadas estradas intrafegáveis).

Vale ressaltar que, por mais que mantê-lo seja importante, evitar seu acionamento também é. Afinal, sua reposição sempre representará um custo.

3. Estoque de ciclo

tipos de estoque
Estabelecimentos que fabricam muitos itens, como padarias, podem se beneficiar muito do estoque de ciclo.

Imagine que você é o proprietário de uma padaria. Seu estabelecimento vende, além do tradicional pão francês, boas integrais, bolos e roscas.

Esta ampla oferta de produtos é, sem dúvidas, boa para tornar seu negócio mais competitivo. Afinal, ela tende a puxar o ticket médio dos clientes para cima, além de tornar seu negócio mais atrativo do que a concorrência (as pessoas tendem a visitar lojas nas quais possam comprar de tudo).

Entretanto, operacionalmente, a história é outra. É preciso organizar mão de obra e recursos materiais para produzir todas as mercadorias. É importante encontrar um equilíbrio entre quantidade e qualidade: nenhum item pode faltar, mas tampouco pode haver mercadorias de qualidade duvidosa à venda!

Se for o seu caso, o estoque de ciclo pode ser extremamente útil. Nele, você define um ciclo de venda (horas, dias, semanas, etc) e calcula quantos itens de cada tipo são necessários para suprir a demanda neste período. Em seguida, você se dedica a produzir a quantidade necessária para cobrir o ciclo. Você faz isso em todos os itens, até voltar ao primeiro. Assim, você vai dedicando seus recursos à produção de todos os itens de modo que nenhum falte ou perca qualidade!

4. Estoque de antecipação

Não, ele não tem nada a ver com bola de cristal! O estoque de antecipação é uma armazenagem preparada de antemão a eventuais picos de demanda, de modo planejado, organizado e baseado em dados de períodos anteriores.

Por exemplo: nos meses anteriores à Páscoa, é comum que os supermercados não apenas comprem ovos e coelhos de chocolate, como, também, aumentem os pedidos de barras de chocolate, já que a procura por elas também aumenta.

Já uma lanchonete tende a vender mais bebidas quentes, como café e chocolate, do que geladas, como refrigerantes e cervejas, em épocas mais frias. Com os relatórios de vendas em mãos, é natural que elas se preparem para esta mudança na demanda.

Este preparo também pode ser necessário devido a fatores internos da empresa. Por exemplo: se você faz uma promoção de um produto, é natural que a demanda por ele aumente. É muito importante criar um estoque de antecipação para se preparar e não frustrar seus clientes!

-

5. Estoque sazonal

tipos de estoque
O estoque sazonal visa atender à demanda extra que surge em determinadas épocas do ano,

O estoque sazonal é muito semelhante ao estoque de antecipação.

Todos os estabelecimentos sabem que suas vendas não tendem a ser homogêneas ao longo do ano, mas que elas são impactadas, positiva ou negativamente, por fatores externos.

Imagine uma loja de uniformes escolares. É certeza de que os meses nos quais ela mais vende são que antecedem o início dos períodos letivos, ou seja, janeiro, fevereiro e julho. Nos demais, a saída de produtos tende a cair.

É algo que se repete todo ano, assim, é uma tendência sazonal. Como os picos de procura já são previstos, é natural que o estabelecimento forme uma armazenagem para supri-la  – é o estoque sazonal.

6. Estoque pulmão

tipos de estoque
É comum que restaurantes contem com um estoque pulmão de cada insumo, de modo a agilizar os processos na cozinha.

O estoque pulmão é muito frequente em estabelecimentos de gastronomia. Trata-se de um estoque de itens que não estão acabados, mas estão quase lá. Podem tanto ser insumos quanto produtos que só precisam de uma rápida finalização antes de serem vendidos.

Quer um exemplo? Imagine um restaurante italiano, que vende massas frescas acompanhadas de diversos molhos, conforme a escolha do cliente. É óbvio que o estabelecimento não fabricará a massa do zero cada vez que alguém fizer um pedido: elas já estará pré-pronta e será apenas cozida. O mesmo acontece nas pizzarias, com a massa da pizza, e nas cafeterias, com o café moído. O estoque pulmão está ali para acelerar as operações!

7. Estoque em trânsito

Como o próprio nome diz, o estoque em trânsito diz respeito aos itens que estão em transporte. Por mais que seja um conceito muito ligado ao eCommerce, ele também se aplica às lojas físicas.

Por exemplo: se você trabalha com uma armazenagem externa, terá estoque em trânsito constantemente. O mesmo acontece se você costuma transferir mercadorias entre filiais, e quando um fornecedor estiver em trânsito para te entregar um pedido.

Vale ressaltar que o estoque em trânsito é, infelizmente, muito aberto a perdas. Portanto, é importante manter um bom controle dele: se você sabe exatamente a quantidade de mercadoria que está sendo movida, poderá identificar perdas ou furtos com mais facilidade.

8. Estoque consignado

estoque consignado
O estoque consignado é uma parceria comercial que abre espaço para ambas as partes.

O estoque consignado é uma excelente opção para os empreendedores que não têm muita experiência com a administração da armazenagem ou não têm margens que suportem uma eventual formação de excedente – itens parados que não podem ser escoados por algum motivo.

Neste tipo de estoque, uma empresa cede determinado número de produtos a outra, mas sem deixar de ser sua proprietária. Se a empresa destinatária efetivamente vender os itens, é remunerada por meio de uma comissão. Se algo não foi vendido, o estabelecimento simplesmente repassa as mercadorias de volta aos proprietários.

Trata-se de um negócio vantajoso para os dois lados: sua empresa pode atuar tanto como fornecedora (uma excelente opção para aumentar a capilaridade dos produtos) quanto como receptora (o que representa uma redução de custos e riscos para o seu negócio).

9. Estoque inativo/obsoleto

O estoque inativo é o pesadelo de qualquer lojista. Trata-se de um conjunto de itens que não foram vendidos e, por algum motivo, se tornaram obsoletos.

É algo que acontece muito em lojas de eletrônicos: quando sai uma versão nova de algum produto, a versão anterior fica automaticamente ultrapassada. Consequentemente, terá que ser vendida por um valor reduzido.

Para evitar prejuízo, é importante ficar atento às novidades do seu mercado. Deste modo, você evita o acúmulo de itens que tendem a ficar obsoletos.

10. Estoque regulador

O estoque regulador é o bote salva-vidas de um estabelecimento.

Quando uma marca possui várias filiais, é recomendado que uma delas tenha uma quantidade de itens armazenada acima do normal, de modo a suprir a necessidade de outra filial em caso de falta. É o estoque regulador.

Gostou do conteúdo? Então confira este material, gratuito e exclusivo, com mais dicas fundamentais para o seu negócio ser um sucesso:

 kit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: